Header Ads

Wish

Kohaku é um anjo que foi salvo por um humano e em troca, deve realizar um desejo de seu salvador. Mas para seu azar, Shuichiro não tem desejo algum.

Mídia: mangá
Publicação: 1995 - 1998
Volumes: 4
Autor: Clamp
Demografia: shoujo
Gêneros: Fantasia, Romance, Drama

Sinopse: Shuichiro Kudo é um médico que um dia encontra um anjo, Kohaku, sendo atacado por um corvo. Ele resgata Kohaku e, em troca, o anjo se oferece a conceder-lhe um desejo. No entanto, Shuichiro não quer nenhum, isso faz com que Kohaku fique ao seu lado, até que ele decida por algo.

Koryuu e suas assistentes (em forma de gato) e Kohaku
Comentários: Wish é o meu trabalho preferido do Clamp, mesmo sendo curtinho e não tão famoso. Embora traga muitos elementos comuns às obras das meninas, como temática sobrenatural, o mangá tem uma pegada bem diferente.

Para começar, é a Nekoi e não a Mokona quem ilustra. Dá para ver que o traço é mais simples e menos refinado. Embora muitos efeitos e texturas não estejam presentes, acho que o traço combina com o tom intimista do mangá.

Os personagens são carismáticos e muito dóceis e gentis, lembrando muito as personalidades fofas e infantis de Cardcaptor Sakura, o que é meio engraçado, já que aqui, todos os personagens tecnicamente são adultos.

A construção da trama é lenta e leve, mas muito fluído, fazendo você ler todos os capítulos de forma muito rápida. Apesar do clima leve e despretensioso do começo, a trama vai ficando mais complexa e o motivo de porque Kohaku estava na terra é revelado.

É verdade que eu tinha a vã esperança que Kohaku terminasse com Koryuu, que é um demônio menor, mas o Clamp raramente surpreende nos casais. Não custava sonhar. Uma curiosidade é que no original, nunca é dito se Kohaku é homem ou mulher, assim como nenhum dos outros anjos, usando termos neutros para se referir aos personagens. Já os demônios têm sua sexualidade mais definida. Todas as versões traduzidas que li (português e inglês), Kohaku é sempre referida como mulher.

Vale a pena? Sim, é uma obra excelente do Clamp, é curta, fofa e intimista. Além disso, é bastante interessante ver a pequena ligação que a obra acabaria tendo com Kobato, dando a entender que ambos se passam no mesmo universo.

Onde encontrar: O mangá foi licenciado pela JBC.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.